Aos 24 anos, João se juntou a outros 3 sócios  para desbravarem um novo negócio que viria a ser a maior agência de influenciadores digitais da América Latina, a NonStop Produções. Para dar início ao novo projeto, o jovem empresário de Guarani foi atrás do primeiro influenciador: Felipe Neto. De cara, assinaram um contrato de três anos e o youtuber fez sua primeira turnê pelo Brasil, quando mais de 30 mil pessoas assistiram ao show de um garoto, que se transformou em dos mais conhecidos influenciadores do Brasil.

No primeiro mês de Non-Stop, o lucro de R$20 mil foi dividido entre os quatro sócios. Se fosse nos dias atuais, com esse mesmo artista, esse valor seria de pelo menos vinte vezes mais.

Foi pelas redes sociais que João teve acesso ao conteúdo de Whindersson. Fecharam um contrato pequeno, que antes mesmo de ser encerrado foi renovado com um formato ainda maior. Em 12 meses, Whindersson ganhou  8 milhões de novos inscritos em seu canal e em 2017 o piauiense de então 22 anos chega ao apogeu da popularidade no universo do consumo de conteúdo por meio das mídias sociais.

João chega a ficar 8 horas por dia no celular, entre redes sociais e e-mails. E foi nessas zapeadas que se deparou com o fenômeno Carlinhos Maia, na época com 200 mil seguidores. Aquele jeito moderno de fazer stories, que mais parecia uma novela, era um prato cheio para bombar no ponto de vista do caçador de talentos João Mendes.

E então, João mostrou para o novo cliente que existia uma técnica por trás dessa novela digital que ele fazia, e que continuaria fazendo. Carlinhos Maia criou um canal no Youtube e hoje tem mais de 16 milhões de seguidores no Instagram. Seu espetáculo já seguiu turnê pela Europa e Estados Unidos.

A Non-Stop atualmente tem três escritórios: Rio de Janeiro, Alphaville e Juiz de Fora. Atualmente João não é mais um dos sócios da Non-Stop, deixando o controle da empresa nas mãos de seus ex-sócios.

Compartilhe esse post:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin